Festival Baobá – Pretas Tradições celebra o Mês da Consciência Negra

 

Publicado em: 26/10/2022 14:21

Whatsapp

 

Banda Olodum e gastronomia afro serão algumas das atrações

 

Planejado para se tornar referência regional, o Festival Baobá – Pretas Tradições reunirá uma série de atrações para marcar o Mês da Consciência Negra em João Monlevade.

O evento, que é uma realização da Prefeitura por meio da Fundação Casa de Cultura, se estende por quatro dias de novembro, tendo como um de seus pontos altos a banda baiana Olodum e ainda contará com gastronomia afro, culturas tradicionais e expressões contemporâneas.

No primeiro dia da programação (16), o grupo Teatro Negro e Atitude, de Belo Horizonte, apresenta um espetáculo cênico a partir das 19h no Teatro Antônio Gonçalves, no Centro Educacional. Logo depois, no mesmo local, a dançarina Gabriela Isabel mostra a coreografia de “Tudo que Nós tem é Nóis” e, encerrando a noite, acontece a apresentação da Associação Monlevadense de Afrodescendentes (Amad).

Nos outros três dias, o Baobá se desloca para a Praça do Povo. Lá, às 19 horas da sexta-feira (18), o Tambores do Morro sobe ao palco com sua arte. Às 21h será a vez do samba-reggae do Olodum, de grandes sucessos como “Faraó”, “Avisa Lá” e “Várias Queixas”, agitar o público.  Neste dia, a praça já estará tomada pelas barracas de comida de origem africana (feijoada, vatapá, acarajé e muito mais), um dos grandes atrativos da festa até domingo (20).

No sábado (19), às 14h, tem capoeira e, por volta de 15h, um cortejo de grupos de congado e marujos de João Monlevade. Em seguida, será a vez do “Conexões Pretas”, bate-papo com representantes negros do meio acadêmico, das artes e de saberes tradicionais. Trata-se de mais uma edição do projeto “Conexões Monlevadenses” (lançado em abril, no aniversário da cidade). Trancistas e maquiadoras negras também estarão no local com serviços de beleza, que se repete no dia seguinte.

Ainda no sábado, o duo Doi Neguim, de Pouso Alegre, leva ao palco da Praça do Povo, às 17h, o show “Sons de Lá”, um repertório marcado pela cultura Bantu. Já as 19h, a Família Alcântara Coral apresenta sua música que já transitou pelo país e pelo exterior. Às 21h, o grupo belo-horizontino Preto no Branco mostra seu som gospel com influências de soul music e outras referências. O local contará também com a participação de trancistas e maquiadoras negras, que atuarão por dois dias.

No domingo (20) Dia de Zumbi e Dia da Consciência Negra, os monlevadenses do Deixa se Envolver, de axé music, se apresentam às 13h e, às 15h, haverá show de Rômulo Rás e os Afilhados do Sereno, seguido, logo depois, por batalha de MCs. O dia deverá se encerrar com um bloco de rua.

Além do Festival Baobá, outros eventos deverão marcar a celebração da cultura negra ao longo do mês, envolvendo articulação da Fundação Casa de Cultura com outras entidades, como a Pastoral Afro da Paróquia São Luís Maria de Montfort, Associação Monlevadense de Afrodescendentes (Amad) e instituições de ensino superior de João Monlevade.