Orçamento Participativo Escolar será lançado nesta sexta-feira

 

Publicado em: 03/12/2021 10:12

Whatsapp

 

Iniciativa da Prefeitura de João Monlevade é inédita na região

Nesta sexta-feira (3), o deputado federal e ex-ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias, estará em João Monlevade para o lançamento do Orçamento Participativo Escolar (OPE). O evento será realizado no auditório do Colégio e Faculdade Kennedy às 18h30 e vai contar com a palestra do parlamentar. 

João Monlevade foi uma das cidades mineiras pioneiras na implantação do Orçamento Participativo (OP) e, novamente, o município inova com a gestão democrática. Só que, desta vez, com o público estudantil, por meio do Orçamento Participativo Escolar.

Antes de sua implementação definitiva, a equipe responsável pelos trabalhos do OPE circulou pelas escolas da rede municipal para apresentar o projeto à comunidade escolar de uma forma simples e pedagógica. A intenção é desenvolver nos estudantes a cultura da participação a partir da promoção de momentos de negociação, com tomada de decisões e definição de prioridades, respeitando os interesses coletivos da escola e levando em conta o recurso público disponibilizado.

Público

O Orçamento Participativo Escolar vai atender os estudantes da rede municipal de ensino dos anos iniciais e dos anos finais do Ensino Fundamental. A inspiração pelo público infanto-juvenil partiu de modelos seguidos nos municípios de São Paulo (2003), Belo Horizonte (2014/2016) e também em cidades de Portugal (2016/2021).

O OPE em João Monlevade está sendo implementado pelo servidor público, sociólogo e professor Antônio José Albuquerque Neto Mancuzo. De acordo com ele, o OPE pretende fomentar a gestão democrática e a participação na vida social e política dos alunos. “O Orçamento Participativo Escolar vai permitir adequar as políticas municipais às necessidades e visões do público infanto-juvenil, fomentando a educação para a cidadania, a transparência, o controle social e a gestão democrática nas escolas, além de mais que dobrar os recursos dos caixas escolares”, comenta.