Acessibilidade
A+
A-
Contraste
Retornar acessibilidade

Festival Baobá traz o rapper Djonga e várias atrações a João Monlevade

 

Publicado em: 29/05/2024 17:01

Whatsapp

 

Festival Baobá traz o rapper Djonga e várias atrações a João Monlevade

João Monlevade recebe a segunda edição do festival que promete agitar a cidade: o Festival Baobá – Pretas Tradições. O evento, promovido de 14 a 16 de junho, terá como ponto culminante a apresentação do rapper mineiro Djonga, que sobe ao palco da Praça do Povo no sábado (15), às 20h30. Planejado para se tornar referência regional, o Festival Baobá é uma realização da Prefeitura, por meio da Fundação Casa de Cultura, celebrando as tradições culturais afro-brasileiras.

As festividades começam na sexta-feira, 14, às 19h, com o espetáculo de dança "Ubuntu - Eu sou porque nós somos" do Grupo Freedom Dance. Às 21h, a banda Mamour Ba, do Senegal, traz o ritmo do African Pop, seguido pelos Tambores do Morro, às 22h, com uma apresentação vibrante de axé.

No sábado, 15, as atividades começam ao meio-dia com uma roda de Capoeira Angola liderada pelo Mestre João Angoleiro. Às 15h, o palco recebe Barraco 32 e Mc Chocolate, trazendo uma mistura autêntica de rap e trap autoral. Às 16h30, a Orquestra Gafieira, Etc e Tal, promete encantar o público com sua musicalidade. Black Machine, com sua fusão de funk e soul music, se apresenta às 18h30, preparando o terreno para a aguardada performance de Djonga, às 20h30. A noite continua com Swing Safado, às 22h30, oferecendo um animado show de pagode baiano. Durante todo o dia, o DJ Camis animará o público com suas mixagens.

No domingo, 16, as atividades começam ao meio-dia com uma roda de Capoeira Ginga Monlevade. Às 13h, o cortejo dos Marujos Nossa Senhora do Rosário desfila pela Praça, seguido pela Guarda de Congo, às 13h30. Às 14h, o grupo Pajé e a Nave apresenta seu Afro Pop Brasil Instrumental. A Família Alcântara, com seu Canto Negro de Quilombo, se apresenta às 16h, seguida por Fran Januário com sua roda de samba e pagode, às 18h. O encerramento do festival fica por conta de Marcelo Dai, cantor e baterista da cantora imortal Liniker, às 20h, com um show de black e soul music. Novamente, DJ Camis estará presente ao longo do dia.

O festival também contará com espaços especiais como Beleza Preta, dedicado a esteticistas especializados em pele e cabelos negros; Erê, um espaço para recreação e contação de histórias africanas para crianças; Negras Letras, uma tenda de autores negros; e Afrogastronomia, um espaço gastronômico com pratos tradicionais de quilombo. Além disso, intervenções cênicas mambembe com artistas negros e pintura corporal étnica neon enriquecerão a experiência cultural dos visitantes.

O Festival Baobá também oferece oficinas entre os dias 17 e 28 de junho, incluindo o "Laboratório de linguagem: ritmo, corpo e palavra" com Babilak Ba, danças afro-brasileiras com Evandro Passos, e capoeira com Mestre João Angoleiro.

“Baobá é o meu festival favorito.  É resistência, esperança e desenvolvimento humano. Ele reúne tradição e inovação, com muita diversidade. Um time grande de artistas e coletivos locais, mobilização social e ótimo impacto na cadeia cultural e comércio em geral. Estamos esperando vocês para fazer parte dessa festa revolucionária”, declarou a diretora-presidente da Fundação Casa de Cultura, Nadja Lírio Furtado.