• DAE registra boletim de ocorrência contra a Cemig e diz que está acionando a empresa na Justiça

    Publicado em: 09/03/2018 15:40

    Devido às fortes chuvas que estão caindo em João Monlevade, a energia elétrica vem sendo interrompida  com muita frequência, e também tem ocorrido problemas quanto à distribuição de água tratada na cidade por culpa direta da Cemig, que não conclui os serviços em tempo hábil, como deveria, para restabelecer o fornecimento de energia à ETA (Estação de Tratamento de Água), na localidade de Pacas. E, em alguns casos, a empreiteira que presta serviços à Cemig solicita autorização para o fechamento de vias públicas, quase em cima da hora para execução da obra, não se dando tempo suficiente para se avisar a comunidade.

    O maior exemplo da falta de responsabilidade da Cemig para com o Município ocorreu na última quarta-feira, dia 7, com o longo período de falta de energia elétrica na cidade e na ETA, onde faltou energia das 19h de quarta-feira, dia 7, até às 9h30 de quinta-feira, dia 8. E a energia elétrica voltou a ser interrompida pela Cemig, na ETA, às 19h de ontem, quinta-feira, e não foi restabelecida até a manhã desta sexta-feira, dia 9, mais uma vez prejudicando o fornecimento de água para a população.

    Indignado com a situação e com a falta de responsabilidade da Cemig, o diretor do DAE (Departamento de Águas e Esgotos), Cléres Roberto de Souza, procurou a Polícia Militar e registrou Boletim de Ocorrências contra a empresa. Cléres disse que, por várias vezes, a Cemig tem demonstrado má vontade com relação ao DAE (que é o seu maior cliente no município), e que o DAE está tomando medidas judiciais cabíveis contra a Cemig, para que a população não continue sendo prejudicada, como está acontecendo. Cléres disse que ele não quer que se trabalhe em situação de risco, sob temporais, mas que se programem bem e se agilizem os atendimentos, evitando-se mais prejuízos para a população.